Participação do setor no PIB do Estado caiu mas empregos devem retornar mais rápido

O Estado de São Paulo perdeu mais de 16 milhões de turistas por conta da pandemia da covid-19. Os dados fazem parte do “Balanço econômico do turismo paulista 2020 e perspectivas para 2021/2022”, da Secretaria de Turismo, elaborado pelo do Cento de Inteligência da Economia do Turismo (CIET).

Desse total, mais de um milhão eram estrangeiros e os demais 15 milhões viriam de outros estados ou seriam os paulistas viajando dentro do estado.

Com a queda, São Paulo vai fechar o ano com 27,8 milhões de turistas, dos 46 milhões esperados. Em 2019 foram 44 milhões, ou seja, uma quebra de 36,8% causada pelo coronavirus.

Nos empregos, outubro teve o melhor resultado em um único mês, com mais de sete mil vagas, porém isso aconteceu depois da perda acumulada de 150 mil postos de trabalho entre março e setembro.

PIB e retomada — O documento “Balanço econômico do turismo paulista” trouxe também uma simulação do impacto da covid-19 no Produto Interno Bruto (PIB) do setor no Estado. A queda deve ser de 20,9% — ou R$ 46,5 bilhões.

Com esse resultado o turismo fechará o ano com R$ 183,4 bilhões, já corridos pela inflação do período, o que representa uma participação de 7,4% nas riquezas produzidas pelo estado — em 2019 a participação foi de 9,3%.

Para a projeção da retomada, o CIET considerou que a vacinação contra convid-19 esteja acontecendo em todo o País até março de 2021. O número de turistas no Estado deve crescer 44% sobre os resultados de 2020, chegando a 40 milhões de viagens, principalmente domésticas. Já em 2022 deve ser retomado o crescimento normal, ultrapassando os resultados de 2019, e chegando a 46 milhões de viajantes.

Com relação aos empregos, a expectativa é mais otimista: em outubro de 2021 os 150 mil perdidos já terão sido recuperados, iniciando um novo período de contratações.

Veja o documento completo acessando o link: Balanço CIET 2020