Na manhã de 12 de janeiro foi realizada a primeira reunião de 2021, ainda de modo virtual, do Conselho Estadual de Turismo – Conturesp. Durante uma hora e meia, foram repassados diversos temas e feitos os primeiros encaminhamentos do ano. Após cumprimentar os integrantes do Conselho com otimismo e convicção em melhores resultados para o universo da atividade turística paulista, o secretário Vinicius Lummertz passou a palavra para Guilherme Miranda, o secretário executivo da Pasta.

Miranda convocou os participantes a aperfeiçoar a performance do Conselho para que sempre “haja boa interlocução entre a iniciativa privada e o Governo do Estado. A sinergia é importante nesta via de mão dupla que envolve a Secretaria e os conselheiros”.  Tais considerações foram positivas e convergiram para a criação de um Grupo de Trabalho, com cinco representantes, para fortalecer e sistematizar as ações do Conselho.  Para acelerar o processo, José Roberto Magalhães, secretário executivo do Conturesp, fez uma proposta em ficar disponível numa sala virtual, uma vez por semana, “para que os conselheiros possam debater temas que já seriam levados resumidamente às reuniões ordinárias realizadas todos os meses”.

O principal tema da reunião foi a Lei Geral de Proteção de Dados, sob a responsabilidade do engenheiro especializado, Umberto Forti, com foco em levar conhecimento para as entidades do trade.  Forti enfatizou que as empresas deverão comprovar ao menos uma das seguintes bases legais para poder perfazer o tratamento do dado pessoal: consentimento, legítimo interesse, execução de contratos, saúde, pesquisa, vida, política pública, obrigação legal, processos judiciais ou administrativos e proteção do crédito. Todo o programa foi disponibilizado aos conselheiros.

Antes de terminar a reunião, o secretário Miranda pediu para que fosse encaminhado, para cada conselheiro, o Plano Turismo SP 20 30. “Trata-se de uma elaboração coletiva liderada pela Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo, com atores do ecossistema de turismo do estado e a participação de agentes nacionais e internacionais. O seu principal objetivo é estabelecer diretrizes, objetivos, metas e mecanismos de controle que sejam capazes de transformar o estado de São Paulo em nova referência nacional e internacional para o turismo”. Este Plano combina as principais vocações do estado, que, articuladas com o mercado, estabelecem condições políticas, econômicas e institucionais para que São Paulo seja o protagonista do turismo do futuro.